sexta-feira, 25 de julho de 2014

5 anos sem fumar

Exatos cinco anos livre do cigarro.São 1825 dias que deixei de fumar 54750 cigarros ao custo de aproximadamente 17 mil Reais. Espero continuar assim!

sábado, 15 de março de 2014

Fumar é caro !

Deixei de fumar já há quase 5 anos.
Por curiosidade hoje procurei pelo preço de um maço de Free Red, o cigarro que eu fumava: R$6,25. Fiz as contas. Parei há 55 meses e meio, mas se ainda fumasse, teria gasto neste tempo aproximadamente 16 mil reais! 16 mil reais queimados literalmente!
Saber disto me ajuda a me manter distante do cigarro, entre outros motivos como a minha saúde, o cheiro forte em tudo, a dependência escravizante da nicotina, etc.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Chegando ao quarto ano sem o cigarro!

Hoje está fazendo 4 anos que não fumo mais! Estou feliz pela marca. Quero continuar assim. Se você pensa em parar de fumar dou o maior apoio! Não é fácil, mas não é impossível! Por um mundo com menos cigarros!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

3 Anos Sem Fumar

Dia 25 de julho fez 3 anos que parei de fumar. Uma grande vitória sobre o vício. Já me considero um ex-fumante. Poucas coisas nesta vida são definitivas, por isto tenho tido cuidado com os raros momentos que ainda aparece um pouquinho da vontade de fumar. Viver sem fumar é melhor não só para a saúde e para o bolso, mas também para a nossa autoestima. Não tem cheiro ruim, não tem que se preocupar em ter uma carteira de cigarro sempre a mão, não tem que ficar pensando como vai fumar em determinado local, e assim vai. É bom não ter o vício tomando conta do nosso dia. É bom ter deixado (literalmente) de queimar mais de R$ 5.500,00 (cinco mil e quinhentos reais), nestes 3 anos sem comprar cigarros.

domingo, 28 de agosto de 2011

Mais de 2 anos sem fumar

Já se passaram mais de 2 anos sem fumar. Este blog foi muito importante nos primeiros meses, ajudou-me bastante em me manter longe do cigarro. Falar, ler e escrever sobre o grande desafio que foi parar de fumar me fez pensar de forma objetiva e tirar o cigarro do foco, desligar a mente do vício, deixando o desejo e o hábito cada dia mais longe da memória e da rotina diária.

Agora, passados 2 anos e um mês, sobrou uma lembrança distante do vício. Não me engano, esta lembrança ainda pode me fazer voltar. Há instantes, principalmente naqueles em que tenho que passar por alguma forma de pressão emocional que a memória é reativada. Por um instante dá vontade de dar uma pitada. Mas não é nada comparado aos primeiros meses. Hoje é só pensar que tá tão bom viver sem cigarro, lembrar dos benefícios em estar sem fumar, que a vontade passa rapidinha.

De vez em quando também procuro saber quando custa o pacote de cigarros. Como é caro! Dá prá fazer tanta coisa boa com este dinheiro.

domingo, 25 de julho de 2010

Um Ano


Cheguei ao primeiro ano. São 365 dias sem fumar aproximadamente 10200 cigarros, que me teriam custado saude e algo em torno de R$1.800,00!

Fiquei sabendo que a indústria do cigarro continuará me considerando fumante ainda pelos próximos 5 anos. Pois que isto me sirva de alerta e não volte a ser escravo do cigarro ao menos pelos próximos 5 milhões de anos!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

11 meses

Hunnnnn! Passou sem um post os 10 meses!
Mas não tem importância, hoje cheguei aos 11 meses! Falta pouco para um ano!
São 334 dias sem fumar, mais ou menos, 9352 cigarros! Isto teria me custado algo em torno de R$1.683,00 !!

Neste meio tempo, uma simpática fumante conhecida minha foi parar na sala de cirurgia para desentupir as artérias do coração e já está em plena recuperação. Tomara que não mais volte a fumar.

Situações assim são drásticas, mas podem ajudar os que se encontram por perto! Foi assim que vi pessoas próximas resolverem parar de fumar e, ao menos até agora, aguentarem firmes ! Isto tudo me ajuda também a me manter firme no meu compromisso de não voltar a fumar.

A saude agradece.

domingo, 25 de abril de 2010

9 meses

Cheguei aos nove meses sem o dito cujo, o tal cigarro, que me acompanhou por tanto tempo!

Posso dizer que estou livre há 9 meses, mas ainda não me sinto um ex-fumante. As vezes dá vontade de fumar, poucas vezes, mas ainda dá.

Nove meses são 273 dias em que deixei de fumar aproximadamente 7644 cigarros,
que teriam me custado R$1.375,92.

quinta-feira, 25 de março de 2010

8 meses

Hoje é dia de mais uma marca: 8 meses sem fumar!

Já são 242 dias em que 6770 cigarros deixaram de ser queimados! Aproximadamente R$1.220,00 foram economizados.

A saúde e o bolso agradecem!

Agora dificilmente me lembro do cigarro com vontade de fumar. Isto ocorre, mas é muito raro.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

7 meses

Mais um mês ! Agora já são 7 meses ou 214 dias sem fumar.

Deixei de fumar aproximadamente 6000 cigarros que teriam custado um pouco mais de R$1.000,00!!! Dinheirão, hein?

Agora só de vez em quando ainda pinta aquela vontade de fumar. Principalmente quando há algum tipo de estresse.

Na maior parte do tempo fico numa boa sem me lembrar do dito cujo!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

6 meses....





Hoje completo 6 meses sem fumar. São 183 dias. Meio ano sem colocar nenhum cigarro na boca. Um marco importante na minha caminhada!

Neste tempo deixei de fumar aproximadamente 5100 cigarros, que, além da minha saúde, custariam em torno de R$ 922,00. É um bom valor, não é mesmo?

Já não tenho chupado tanta bala, mas as vezes ainda sinto necessidade. Engordei! Lá no "quem sou" do Orkut coloquei: "E = mc2, sendo que m tem aumentado depois que deixei de fumar". Mesmo assim não pretendo voltar a fumar!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

História do cigarro

Li um artigo do Dr. Drauzio Varella muito interessante. Transcrevo aqui a parte inicial do texto...

Fraude, corrupção e mentiras

Os fabricantes de cigarro levaram 40 anos para admitir o que já sabiam desde os anos 1950: o fumo causa câncer de pulmão. Nesse período, "a indústria do tabaco cometeu uma sucessão de fraudes, propagou mentiras com ares de controvérsia científica e enganou os consumidores num nível provavelmente inédito na história do capitalismo". Assim começa o excelente livro "O Cigarro" (Publifolha, 87 pág.), de Mario Cesar Carvalho.

Nele, o autor conta a história do cigarro desde suas origens. Diz que o capelão da primeira expedição francesa ao Brasil, em 1556, já relatou seu uso entre os tupinambás. Daqui, o fumo emigrou clandestinamente para Portugal e para a Espanha.

Fumar cigarro era raridade até o final do século 19. Em 1880, cerca de 58% dos usuários de tabaco eram mascadores de fumo, 38% fumavam charuto ou cachimbo, 3% cheiravam rapé e apenas 1% era fumante de cigarro. Nesse ano, o americano James A. Bonsack inventou uma máquina capaz de enrolar 200 cigarros por minuto, o que criou condições para o aparecimento da indústria.

Então veio a distribuição de cigarros aos soldados nas trincheiras, durante a Primeira Guerra, e seu uso, que se achava restrito às camadas marginais das sociedades americana e européia, explodiu. Em 1900, o consumo anual americano era de cerca de 2 bilhões de cigarros; em 1930, chegou a 200 bilhões. As duas guerras mundiais, que afrouxaram a oposição ao cigarro, a urbanização acelerada, a criação do mercado de massa e a expansão do mercado de trabalho, criaram as condições para que a epidemia do fumo se espalhasse pelo mundo, envolta em glamour por Hollywood, como símbolo de modernidade.

Descrito com clareza o cenário que levou à disseminação dessa praga do século 20 pelos cinco continentes, o autor mostra como ocorreu a tomada de consciência da sociedade em relação aos malefícios do fumo e como a indústria boicotou as informações científicas que esclareciam a associação do cigarro com o câncer e com as doenças cardiovasculares. Até a década passada, por exemplo, a indústria se negava a reconhecer até o mais óbvio: que a nicotina provoca dependência, num deboche cínico aos que enfrentam o tormento de parar de fumar.

clique aqui para ler o artigo completo

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ano novo longe do cigarro!






2009 foi importante. Quero lembrá-lo como o ano que deixei de fumar definitivamente!

Hoje inicia 2010 e desejo me manter livre do cigarro durante este novo ano. Será uma grande conquista se isto acontecer.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

5 meses sem fumar



É isso ai, já são 5 meses sem nenhuma tragada na fumaça de um cigarro! É um presente de Natal para mim mesmo! Em 152 dias deixei de fumar 4256 cigarros, que teriam me custado 766 reais.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O sonho



Noite passada sonhei que havia voltado a fumar. De repente me vejo com um cigarro na mão e dando umas tragadas bem boas.... quando então me dou conta de que havia parado de fumar! Imediatamente um sentimento de fracasso tomou conta de mim. Mesmo assim continuei dando as minhas baforadas. Ainda bem que foi só um sonho!

Um amiga psicóloga me disse que o fato de eu estar sonhando com o cigarro era um bom sinal, pois já estaria elaborando o processo de perda do dito cujo em níveis profundos da mente. Entendi como sendo mais um pedaço do caminho andado para me tornar um ex-fumante. Que bom, né?

obs: Hoje o meu fumômetro diz que deixei de fumar 4004 cigarro. Fiz as contas, 4004 x 9cm, e dá algo como 360. Deixei de fumar 360 metros de cigarros (hahahaha!!)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Curisosidade III - Quem inventou o cigarro?


Em 1492, Cristóvão Colombo desembarcou na América. Junto com ele veio o navegador espanhol Rodrigo de Xeres. Depois de provar um cachimbo dos índios das Bahamas, ele não ficou um único dia sem fumar. Na volta para casa, levou tabaco na bagagem.

Logo os europeus criaram outras formas de consumir a folha. Ainda no século 16, surgiram os charutos, que eram caros e restritos aos ricos. Mas os trabalhadores de Sevilha arranjaram um jeito para dar suas tragadas: eles apanharam restos de charutos nas ruas, picaram tudo e enrolaram em papel. Nascia assim o cigarro. (trecho de texto da revista Aventuras na História)

domingo, 6 de dezembro de 2009

Prova de vontade

Quinta-feira passada fui tomar cerveja e fumavam na mesa. Hummm!! Me deu uma vontade!

Engraçada esta vontade, ela parece que vem recheada das melhores intenções, como se dissesse: "Fuma ai! Não vai fazer mal nenhum não e vai ser muuiitoo gostoso!".

Pois é, ainda bem que a vontade de fumar não foi maior que a minha vontade em continuar limpo do cigarro. Fiquei na minha e logo depois a vontade passou, como se nada tivesse acontecido.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Força de vontade honesta é fundamental!

Pois é, na minha postagem anterior acabei falando de uma ótima dica que tem me ajudado muito a não fumar: lembrar sempre, principalmente na fissura, de que a crise de abstnência passa em alguns minutos.

É isto, mas tem uma dica que considero mais importante ainda e que acabei de ser lembrando lendo um comentário: manter firme a força de vontade em parar de fumar.

Para mim esta força de vontade teve que ser tirada lá das minhas mais remotas profundezas para se contrapor à vontade de fumar, numa forma de desafio. Foi isto que me manteve e me mantém ainda firme no objetivo. Para dar motivos firmes a esta força de vontade eu fiz um tipo de contrato comigo mesmo, um acerto em que relacionei todas as coisas boas que percebia estar ganhando em deixar de fumar X o meu longo casamento com o cigarro.

Lia esta lista em voz alta para mim mesmo durante os períodos de fissuras (principalmente no primeiro mês), e me perguntava: "Eu quero voltar a fumar?". A resposta foi e continua sendo "Não", mas me lembro bem que o "não" não podia ser vazio, tinha que ressoar a lembrança do meu desejo sincero de parar de fumar, porque senão a força do desejo de fumar poderia me levar a uma recaida.

Tenho consciência de que ainda estou em área de perigo, mas com o passar dos dias vejo que tem ficado bem mais fácil em continuar respondendo "não" para o cigarro.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A crise de abstinência passa em até 5 minutos

Eu já disse aqui, em algumas de minhas postagens, que li muita coisa, quase tudo que vi na internet sobre deixar de fumar.

Há coisa demais escrita por gente que se diz especialista em ajudar aos que desejam parar de fumar, mas que são meio papagaios, repetidores do que ouviram falar e falam muita bobagem; pensam que os fumantes são assim meio sem noção, meio idiotas, que aceitam aconselhamentos absurdos, além de inventar e repetir bobeiras que apresentam como verdadeiras, mas sem o mínimo de evidências que lhe deem alguma credibilidade. Acho que boa parte deste besteirol vem de uma característica de nossa sociedade atual que parece dividir-se em 2 grupos: os especialistas e os idiotas, com o agravante de que muitos idiotas se passam por especialistas e muitos especialistas se esquecem que estão tratando com seres humanos!

Por isto cheguei à conclusão de que o que realmente ajuda, muito mais do que qualquer "bom" conselho, são os depoimentos das experiências dos que resolveram deixar de fumar e estão na luta em permanecer como não fumantes. Boa parte destes depoimentos estão escritos em blogs, que funcionam como se a gente estivesse num grupo de ajuda mútua. Alguns destes blogs, como o do Vinho Sem Cigarro, li todas as postagens. Foi isto que me incentivou a escrever aqui e tem sido um dos fatores que me manteve firme em não fumar durante estes últimos 4 meses.

Uma das dicas mais importantes para mim, que devo ter lido num destes blogs, é de que a fissura, aquela vontade louca de fumar passa! Ela dura até uns 5 minutos, mas passa. Para o fumante, em crise de abstinência, a sensação é de que aquele desejo maluco de fumar não vai passar NUNCA! E a verdade é que passa sim. Nestas horas eu botava uma bala na boca e ficava me lembando de que aquilo, que parecia apertar a minha garganta, ia passar! Olha só, já estou falando como se fosse passado. Acho que isto é bom. Muito raramente tenho sentido alguma vontade forte de fumar.